Pesquisar este blog

domingo, 10 de dezembro de 2017

Santa Luzia, a beleza colonial

Meu tio-avô morava em Santa Luzia, por isso, desde criança, visito muito a cidade. Mas tem aquela velha história de que ao ir visitar parente, não sobra tempo para turismo. Assim, voltei algumas vezes à cidade para conhecer seus pontos turísticos, em sua maioria, de estilo colonial. E hoje foi exclusivamente para registros fotográficos. 

Na arquitetura da cidade, destaca-se o estilo colonial. No centro já se observa isso. São museus, casarões antigos, igrejas...

Um dos visitantes ilustres que a cidade recebeu foi D. Pedro II, que se hospedou no Solar da Baronesa. Ouro e lustres antigos ornam o teto do prédio.



Para variar, a principal rua é a da Direita, que concentra o comércio e construções barrocas.No Solar Teixeira da Costa, funciona o Museu Histórico, com peças sacras, partituras, mobílias e utensílios dos séculos 17, 18 e 19.






Já assisti a missas na Matriz de Santa Luzia, do século XVIII. Pelas interferências aos longo dos anos, ela tem referências do barroco, rococó e neoclássico. Além de ter obras de Aleijadinho, altar em ouro e pinturas do mestre Athayde. Ela fica ao lado da Câmara Municipal.



Também do século XVIII é a igreja Nossa Senhora do Rosário. A conclusão da construção dela está inscrita em sua fachada: 1909.
  

Além da capela de Nosso Senhor do Bonfim, que foi restaurada em 2001.


E a igreja São João Batista em estilo neogótico. Altar em mármore e janelas com vitrais coloridos.



Ao sairmos para o Mosteiro de Macaúbas, vimos no caminho esta igreja, que fica ao lado de uma escola infantil da prefeitura, mas não consegui identificá-la. Se o caro leitor souber, favor deixar o nome nos comentários. 

Um dos lugares que gosto muito de ir lá é o Mosteiro de Macaúbas. O espaço é muito bonito e é onde ficam freiras enclausuradas. Elas ainda fabricam licores de jabuticaba e doces para vender que são deliciosos. O mosteiro fica às margens do rio das Velhas. Aqui funcionou o primeiro colégio feminino da região. 











A Estação ferroviária representou muito para o comércio.



Um centro de eventos foi construído em Santa Luzia. É o Mega Space, com mais de de 500 mil m², com capacidade para 200 mil pessoas. Ele é considerado o maior do Brasil.
Almoçamos no restaurante Trilhas da Serra. O lugar é bem atrativo, mesmo simples. Oferecem atividades como trilhas. Uma de 600 metros e outra de 1,2 km. Passeios quadriciclo, cavalo, charrete, além do espaço kids. Nesta oportunidade, ative-me apenas à culinária, que é magnífica! Saboreei um delicioso frango ao molho pardo. O acompanhamento seria couve e, como ficamos na dúvida de pedi-lo ou a costelinha com cansanção, por causa do cansanção, perguntamos se poderíamos trocar as verduras e nosso pedido foi prontamente atendido. Ao provar, percebemos ser uma autêntica comida feita no fogão a lenha. D-E-L-I-C-I-O-S-A!
  



Mais uma vez, contamos com a colaboração do meu marido para fazer um vídeo especialmente para o BLOG VIAGENS PELO BRASIL. Ele gravou bem em frente à Matriz. Confiram:




Localização:
Da capital mineira, Belo Horizonte, a distância é de  27 km


Visitei e recomendo:
Solar da Baronesa
Rua Direita
Solar Teixeira da Costa
Matriz de Santa Luzia
Igreja Nossa Senhora do Rosário
Capela de Nosso Senhor do Bonfim
Igreja São João Batista
Mosteiro de Macaúbas
Estação ferroviária
Mega Space




Conheça também e curta nossa página no facebook: www.facebook.com.br/blogviagenspelobrasil


*Texto e Fotos: Karina Motta