Pesquisar este blog

sábado, 15 de julho de 2017

De volta a Ouro Preto

Há tempos queríamos (eu e meu marido) voltar juntos a Ouro Preto e a oportunidade não poderia ser melhor: comemorar o aniversário dele, que ama séries e filmes, além de história e cultura. E qual a programação na cidade para o período que escolhemos ir? A 12ª Mostra Cine OP, com seminários, arte, música e, claro, filmes. Tudo gratuito. 
  

Reconhecer a primeira cidade brasileira a ser declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade sempre alegra a alma e o coração do BLOG VIAGENS PELO BRASIL.



Chegamos e fomos direto para a praça Tiradentes onde ficou exposta a cabeça do alferes. Aliás, não tem como não chegar a Ouro Preto sem passar primeiro pela praça. Seguimos para o hotel a fim de guardamos o carro e começarmos a nossa empreitada em subir e descer as ladeiras de uma das cidades mais conhecidas e maravilhosas desta minha amada Minas Gerais, e do mundo!

Preferimos ficar hospedados no centro da cidade para facilitar nosso acesso aos pontos turísticos, já que queríamos turistar também e não perdermos a nova visita aos principais atrativos.


  

  


Ficamos no Solar Senhora das Mercês. A pousada interage com a arquitetura local, pois, está instalada em um prédio do século XVIII, bem decorado e é muito bonito. A construção de pau-a-pique foi preservada e há uma parede à mostra para confirmar. Além de ter um atendimento de boa qualidade. Os recepcionistas estão sempre prontos a te orientar para não perder nenhum detalhe da magnífica cidade.


  


Há poucos metros, fica o teatro mais antigo da América do Sul. Mais uma vez, o registramos apenas por fora, pois, estava fechado. 

Outro ponto que não visitamos por dentro foi o Museu da Inconfidên-cia, mas, não porque ele estava fechado e sim porque já o conhecia e só a imponente arquitetura dele encanta muito. Já a igreja Matriz Nossa Senhora do Pilar fizemos questão de entrar novamente. Com seus 400 kg de ouro em sua ornamentação, ela é a segunda mais rica do Brasil. Sempre que entro nela me encanto e estava doida para relembrar os detalhes de suas pinturas, esculturas... Aproveitamos para conferir algumas peças do Museu de Aleijadinho, estavam expostas lá já que o museu, que funciona na matriz estava fechado para reforma.

  

 

Ahhh o museu do oratório! Este, sim, queríamos conhecer. São 162 oratórios e 300 imagens dos séculos XVII ao XX. Todas as peças são brasileiras e há oratórios de diversos tipos e materiais. Ele fica no prédio onde Aleijadinho morou.


  
  
  
  
  
Primeira peça a compor o museu do oratório
Na igreja São Francisco, a marca registrada de Aleijadinho nas esculturas e de Mestre Athayde nas pinturas. 

 Evidentemente, fui logo procurar a igreja do Rosário. Ela estava fechada, mas, seu exterior já é lindo. Ela é toda arredondada, grande e com detalhes, diferente das igrejas do Rosário de outras cidades, que, geralmente, são mais simples.
  
Ao saber que a vista da igreja Santa Efigênia era boa por ficar no alto, fomos conhecê-la. Mas a vista, apesar de boa, é atrapalhada pela fiação. 








Soubemos que a melhor vista da cidade era no Morro de São Sebastião. Claro que fomos lá conferir e não decepcionou. É possível ver os principais pontos turísticos da cidade lá de cima e a vista é esplendorosa!



Ao chegar lá, ficamos sabendo que ela também é conhecida como Nossa Senhora dos Pretos. Consta na história que esta é a igreja de Chico Rei, rei africano que foi trazido ao Brasil como escravo. Ele era devoto de Santa Efigênia e mandou construir a igreja e exigiu que fosse no alto do morro para ser vista por todos. Ele acabou arrendando uma mina, conhecida como a Mina de Chico Rei e de lá tirou o ouro para construí-la. Chama a atenção o fato de que em cada torre dela há um relógio. Em uma delas, é apenas o esboço.




A Matriz é a Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias. 

Chafariz – A cidade tem muito chafariz e o mais famoso é o dos Contos. Antes, o abastecimento de água nas cidades eram feitos por chafarizes e, ainda, ficavam próximos às igrejas para facilitar a construção deles. Todos enfeitam ainda mais a cidade.







Mostra de Cinema – Nesta edição, a CineOP utilizou o cinema para tratar de patrimônio – preservação, história e educação. Com a exibição de mais de 60 filmes, homenagens a personalidades do audiovisual, oficinas, workshops internacionais, debates, seminário, exposições, lançamento de livros, shows e atrações artísticas que ocupam três espaços Ouro Preto: Cine Vila Rica (plateia de 700 lugares), Centro de Convenções (sede do evento, cine-teatro, auditórios, galpão cine bar show, ações de formação e reflexão) e Praça Tiradentes, que recebe a instalação do Cine BNDES na Praça (1000 lugares). À noite, foram colocados aquecedores na praça, pois, o frio estava demais!
 
Claro que não poderíamos deixar de apreciar o artesanato na Feira de Pedra Sabão. Há cada escultura e utensílios domésticos lindos e tudo em pedra sabão, a carcterística da região e insumo para o trabalho de Aleijadinho.



Pico do Itacolomi – De vários pontos da cidade, é possível ver o pico do Itacolomi, que na verdade fica em Mariana. Não perdi a oportunidade de registrá-lo por diversos ângulos. E meu marido deu a sorte de tirar uma foto em que a sombra do sol formou o mapa do Brasil. Pensa se não tem  tudo a ver com o BLOG VIAGENS PELO BRASIL.  

  

Gastronomia – E a culinária mineira é a mais famosa do Brasil? Creio que sim, mas, como mineira, sou suspeita de falar. Depois de passear bastante, resolvemos achar um restaurante na volta para a pousada, mas, já era tarde e, fora do centrão da cidade, os restaurantes estavam fechados. Encontramos um aberto e ficamos todos felizes, mas, ao entrar, era um comum self-service. Desistimos e ao ver nossa decepção, o guia que leva os turistas a bordo de um tuc-tuc para visitar a cidade e aguardava seus clientes comprarem artesanato, nos abordou e nos indicou o restaurante Conto de Réis. Explicou que o mesmo funcionava em uma antiga senzala, serve comida mineira e sobremesa à vontade. O lugar é muito bem decorado, o atendimento de qualidade e a comida ma-ra-vi-lho-sa! Gostei de tudo, mas, mais do frango ao molho pardo.



À noite, outra grata surpresa de última hora. A cidade estava lotada e nas portas dos principais restaurantes havia festa junina o que impedia entrar neles ou mesmo aguardar a fila de espera, já que estava tudo confuso. Saímos andando e resolvemos entrar em uma pizzaria na praça Tiradentes, mas, ficamos uns minutos e nada de nenhum garçon aparecer para nos atender. Deixei meu marido lá e disse que iria olhar à volta, pois, tinha uma lanchonete ao lado e eu ia ver se era um estilo cafeteria para lancharmos e não. Era padaria mesmo. Aí vi uma escadaria e umas caricaturas de músicos e olhei a placa era um restaurante! Fui correndo ao  meu marido para mudarmos de lugar e foi ótimo! Ele se chama taberna e o clima é bem esse mesmo. Muito bem decorado e música de qualidade ao vivo. Adoramos!

Eu estava louca para ir a uma cafeteria para espantar o frio e escolhemos a do Sesi – Café e Cultura. Um charme! Eu escolhi o Café do amor especial e o aniversariante, chá Earl Gray, que o capitão Picard, do jornada nas estrelas sempre toma.



Ahhh Ouro Preto que amamos! Já estamos na expectativa de voltar.















Localização: Ouro Preto pertence à Estrada Real e dista 98 Km da Capital mineira, Belo Horizonte.

Visitei e recomendo: Museus da Inconfidência, de Aleijadinho,
Praça Tiradentes
Igrejas: Matriz Nossa Senhora do Pilar, Matriz Nossa Senhora da Conceição, São Francisco de Assis, Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, de Santa Efigênia Museus: de Arte Sacra, de Aleijadinho Igreja e do Oratório
Teatro
Restaurantes: Conto de Réis, Café e Cultura e Taberna





Conheça também e curta nossa página no facebook: www.facebook.com.br/blogviagenspelobrasil


*Texto e fotos: Karina Motta


2 comentários:

  1. Alguns clientes lá do escritório diriam que eu "causei" lá no Festival de Cinema de Ouro Preto. Principalmente tomando o Chá favorito do Capitão Picard de Star Trek Next Generation.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Risos. Na comemoração de aniversário pode causar.

      Excluir